Sunday, December 27, 2009

Tempo

Decidi que o tempo era findo
mas não de forma festiva
como um ano que se acaba
ou um aniversário qualquer.
O tempo se acabara de forma compenetrada,
refletida,
planejada passo a passo que eu desse;
de forma consentida e
sem os mecanismos cronológicos que mensuram
meu tempo ou seu tempo.
Decidi assim e assim fiz
-acabei com o tempo em um só golpe,
frio,
preciso como uma navalha afiada
que rasga a carne e abre um universo de possibilidades
sanguíneas:
- infecções, inflamações, contestações e bactérias.
Acabei com o tempo porque eu quis,
porque essa sempre foi minha vontade:
- estancar a dor das horas em meu corpo,
parar com o progresso lancinante dos tecidos
e das células rumo ao desterro ermo
e solitário que é seu destino,
definitivamente extirpar o funcionamento
orgânico da matéria que carrego reagente
e penitente,
parar tudo terminantemente.
De forma que nada mais restou
pois acabei com o tempo
e fiquei aqui
sem saber o que fazer
com tudo que me restara,
fora o tempo
que suicidei
em um verso inspirado
num dia que não se acabava.

1 comment:

Danilo MM said...

Se tem algo que me cansa, persegue e não aguento contar é o tempo.
Quem inventou essa idéia de que estamos sempre perdendo algo? Como se fosse pecado parar por um dia em paz.