Wednesday, August 18, 2010

Foda-se toda a poesia

foda-se a retórica empolada
-angustiante-
metafórica e hermética
da poesia.

quero palavras claras e simples
frases descomplexas,
-sem quaisquer rótulos inertes,
regras pré-fabricadas,
sem rumos nem sina.

frases singelas
como em uma canção de amor

e se o verso for imprescindível
que se elimine a rima óbvia
do amor que dói pois há mais
no amor que sangra
que apenas a dor de um poema,

há mais entre nós que o reflexo
do espelho da retina,

há mais nas palavras
que tento encontrar
e que me perco

que me faz optar
escolher revelar
regurgitar a poesia 
engolida em tantos anos 
passados a ferro
fogo fio e solidão

que só me resta gritar
que se foda toda poesia
mecânica
de tempos sincopados
de métricas sistemáticas

eu quero mais o que é seu
é meu
e nosso,
quero mais o que é fundo
distante
inseguro
quero mais um cigarro
um beijo
e que o amor sobreviva

quero mais o que for menos
porque mais é demais
e menos é a paz que eu preciso
e basta encostar no seu peito
e deixar a vida fluir
o tempo passar
e o verso sumir da poesia.

1 comment:

Danilo MM said...

Sensacional!!

Outro dia conversava com uma amiga minha, e falavamos sobre não poder se ter tudo na vida e como isso soava injusto. Ai ela citou: "Afinal meu tudo é tão pouco"

É como vc disse, quero mais do menos, do singelo, do que é pouco, mas essencial.

Sensacional!!