Saturday, April 07, 2007

AO POETA

cabe tudo:
- amor
ódio,
lugar comum
lugar nenhum,

cabe a máscara,
a farsa,

a verdade plena,
por mais intrínseca,
o gozo absoluto.

No poeta mora o medo,
a Mão divina,
a arma, o tiro.

Ao poeta cabe a letra
e toda tentativa que nunca vã
de sempre e muito mais
alguma coisa que seja.

1 comment:

Diogo Canhadas said...

Mergulhei aqui de novo. E fui fundo!

Obrigado.